Ecarta Musical divulga selecionados 

O projeto Ecarta Musical selecionou as 11 apresentações que irão compor a programação do projeto de março a agosto de 2023. Foram avaliadas 129 propostas inscritas a partir de um edital da Fundação Ecarta aberto em dezembro de 2022 e encerrado em 14 de janeiro.

As propostas foram avaliadas esta semana por uma comissão coordenada por Elenice Zaltron, produtora à frente do projeto, juntamente com o jornalista Luiz Gonzaga Lopes, a produtora cultural Ana Lúcia Lombardi e o músico Bruno Vargas.

“O alto nível de qualidade das propostas torna a seleção um processo difícil. Agradecemos a todos que se inscreveram”, registra Zaltron que coordena o projeto há 14 anos. Novo edital será aberto em julho para a seleção do segundo semestre.

De acordo com a comissão, a pluralidade de estilos e a diversidade rítmica é a característica principal dos inscritos. Entre os critérios contam o grau de ineditismo, qualidade artística dos candidatos e propostas adequadas física e conceitualmente ao espaço da Fundação Ecarta.

Valorizar os músicos e a produção musical do Rio Grande do Sul é o principal objetivo deste projeto instituído em 2005 e que já realizou mais de 350 shows reunindo cerca de 20 mil pessoas.

Os shows têm entrada franca e acontecem quinzenalmente na sede da Ecarta em Porto Alegre. Desde a pandemia, os shows também têm transmissão ao vivo no canal da Fundação Ecarta no Youtube.

O projeto Ecarta Musical é um dos cinco projetos da Fundação Ecarta e prioriza shows exclusivos, com conceitos particulares sobre o repertório, como tributos, seleções especiais, efemérides, com programa dirigido ao projeto cultural da Fundação. Já recebeu o prêmio Açorianos de Música por valorização dos artistas e formação de público.

Selecionados para o primeiro semestre de 2023
Dana Farias – Meu black é assim – 11/3
Vocal5 – E se fosse a cappella? – 10/6
Jéssica Nucci –  Teto Verde – 13/4
Luiza Hellena – Uma voz – 27/4
Nina Nicolaiewsky & Quarteto de Cordas – 24/6
Grupo Avalon – Noite Celta – 19/8
Paulo Romeu – Okutá – 25/3
Marcello Caminha – Tio Bilia ao violão – 29/4
Oderiê Cha Yúa – Transfronteyryça – 15/4
Venâncio da Luz – Tálago – 5/8
Rapper Gangster – Vidas negras importam – 19/8

Suplentes
Trio Tri – Eduardo Knob,  Israel Oliveira e Elisa Machado
Casa –  Simone Rasslan e Madalena Rasslan

Comissão avaliadora
Elenice Zaltron,  Produtora Cultural – Fundação Ecarta
Luiz Gonzaga Lopes, jornalista
Ana Lúcia Lombardi, produtra cultural
Bruno Vargas, músico