Mostra Como faremos para desaparecer

Como nos tornamos o que somos? Vivências, registros, lembranças, verdades e ficções. Costumamos chamar de sujeito o ser resultante de nossa relação corpo a corpo com outros indivíduos, e também com os dispositivos que estruturam nossas vidas. Espetáculo, controle, consumo e invenção. Que tipos de subjetividades se desenvolvem em uma sociedade imersa na cultura da imagem e da hiper-exposição? É factvel ainda pensarmos em termos de dualidades entre público e privado, pessoal e político, cotidiano e poético?

A exposição individual de Eduardo Montelli apresenta uma seleção de obras realizadas entre 2008 e 2019, utilizando gif, vídeo, fotografia e performatividade. São trabalhos que exploram ambiguidades e estranhamentos dos processos contemporâneos de subjetivação, especialmente no que diz respeito à relação entre os sujeitos e a produção de múltiplos registros de si orientados por padrões mercadológicos, publicitários e espetaculares.

artista
Eduardo Montelli

curadoria
Charlene Cabral

inauguração
9 de agosto de 2019, 19h

visitação
Até 29 de agosto de 2019, de terça a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 10h às 20h; e domingo, das 10h às 18h)

local
Fundação Ecarta (Av. João Pessoa, 943), em Porto Alegre

entrada franca

acesse a curadoria educativa