Felipe Karam apresenta De Sol a Sol

No repertório, canções do CD homônimo (2018) entre outros temas, o qual abrange gêneros diversos e representa a síntese de uma trajetória musical vivida entre o Brasil, Reino Unido, Europa, Oriente Médio e Estados Unidos ao longo de mais de 20 anos de carreira.

Solado ao violino de cinco cordas, a apresentação transita por ritmos nacionais como choro, baião,
frevo e também por internacionais, como jazz, irish music e música árabe. O violinista também conta com a participação de Flávia Domingues, ao alaúde renascentista, para a música de sua autoria, Sete Velas e mais outras duas músicas contrastantes que reforçam o ecletismo desta apresentação.

O show percorre entre composições, arranjos exclusivos para violino solo e homenageia
artistas consagrados, como na música “Viva Dominguinhos” de Luis Moraes. “De Sol a Sol”,
se caracteriza principalmente por demonstrar ao espectador as diferentes sonoridades que
o violino pode oferecer e até emocionar ao palco.

músicos

Violinista, multi-instrumentista e compositor, bacharel em violino pela
UFRGS (2002) e mestre em ” Music Performance ” na City University of London (UK 2012),
Karam é um músico internacional e muito experiente, em sua carreira já dividiu palco com
Xangai, Renato Borghette, Rafael Ferrari, Neuro Jr. , Miltinho Edilberto, Samuca do
Acordeon, Chico Chagas, Só Pra Contrariar, Pedrinho Figueiredo, Anselmo Netto, Leandro
Maia entre outros, além de formações de significativo sucesso, como “Café Acústico” (1
demo e 3 premiações), “Pocket Caravan” (3 discos), “Capital do Samba”, “Forró Daki Band”,
” Grupo Caratinga de Choro e Samba”(1 disco), “Camerata Pampeana” (DVD Alma
Farroupilha), “Trio Surdina Pampeano” e “Brazilian Ensemble”(6 anos de turnês pelo
Europa, Oriente Médio e Brasil, Prêmio Funarte 2012) . Como professor, foi aceito pelo
programa de intercâmbio de professores, recebendo a bolsa ” Fulbright Scholar in Residence
Award “, para ministrar a disciplina de “História e Apreciação da Música Latino-Americana”,
em Waterbury, Connecticut, EUA, 2016/2017. Atualmente dedica-se ao seu trabalho autoral.
O seu último lançamento, o CD “De Sol a Sol”, já está disponível nas principais plataformas
digitais como Spotfy, Soundcloud, Deezer e Itunes.

Nascido no dia 9 de Novembro de 1988 na cidade de Porto Alegre, iniciou
seus estudos de bateria aos 15 anos. Na sua formação teve aulas particulares com os
mestres: Marquinhos Fê, Ricardo Arenhaldt, Vaney Bertotto e Kiko Freitas. Tem um trabalho
muito versátil, tocando vários estilos que vão do samba, jazz, mpb, sertanejo ao rock.
Ja dividiu o palco com nomes como: Samuca do Acordeon, Sperandires, AnaVitória, João
Triska, Juliano Barreto, Maures Black, Grupo MasBah!, Gabriel Farias, Edu e Renan, Tati
Portella, Serginho Moah, Tribo Brasil, Luciano Maia, Cristian Sperandir, Chico Saratt, Wilson
Paim, Victor Hugo, Marmota Jazz, Shana Muller, Neto Fagundes, Renato Borghetti,
Cristiano Quevedo, Angelo Franco, Érlon Pericles, Daniel Torres, Paola Matos, Luiz Carlos
Borges, Pirisca Grecco entre outros. Além do trabalho de Sideman, Sandro também trabalha em estúdio gravando com diversos artistas.

O Violonista e compositor Max Garcia iniciou sua carreira musical aos 12 anos
de idade, sendo logo considerado instrumentista prodígio pelo virtuosismo precoce de suas
performances musicais. Estudou choro e samba num dos projetos de formação musical popular mais tradicionais e importantes do Brasil, o “Oficina de Choro”. Hoje, é graduando do Bacharelado em Música Popular da UFRGS. Max Garcia tem atuado como violonista de projetos voltados para múltiplas estéticas musicais há 15 anos, e já trabalhou com nomes de peso da música brasileira como Hamilton de Holanda, Ney Lopes, Reinaldo, Serginho Meriti, Antônio Villeroy, Anaadi, Toninho Gerais e Almir Guineto.

data e horário
27 de julho de 2019, 18h

local
Fundação Ecarta (Avenida João Pessoa, 919 – Porto Alegre)

entrada franca